gol de Fellipe Bastos “do meio da rua”, na vitória por 1 a 0, sobre o Atlético-PR, na última quarta-feira, não foi só sorte. Além de ter a característica do chute forte à média e longa distâncias, com destaque em cobranças de falta, Fellipe é muito cobrado para, sempre que tiver a oportunidade, arriscar na meta. Foi o que revelou o técnico Claudinei Oliveira.

O treinador ainda lembrou de outra peça sobre o qual recai a mesma cobrança: o meia Neto Moura, que até pouco tempo era titular da equipe. Em outra oportunidade, Claudinei revelou apelos para o garoto buscar mais o gol, sempre que o espaço surgisse.

– Sou um pouco chato com isso. Porque falo para chutarem mais ao gol. Falei para Neto, falo para Fellipe e falo para todos. Eu falo que, se eles chutarem errado, não vou reclamar. Mas tem de chutar. Só não faz se não chutar. Chutando, pode acontecer um gol como aquele que ele fez. Tanto é que temos um bom índice de finalizações no campeonato (o Sport é o terceiro que mais chuta). E quem chuta mais tem maior chance de ter êxito – disse Claudinei Oliveira.

Fellipe Bastos, pela característica e estímulo, é quem mais finaliza no Sport. Em oito partidas, deu 20 chutes. O segundo é Rogério, com 17 arremates e o terceiro, Marlone, com oito. Fellipe penou para fazer o primeiro gol com a camisa rubro-negra, mas não é de hoje que cobra faltas ou bate de longa distância para vencer o goleiro.

=6

Deixe sua opinião!