Autor de um golaço no clássico, Thomás nega renovação com o Sport

5706

Não é de hoje que o técnico Nelsinho Baptista demonstra não ser adepto a teoria de que não se deve promover substituição ainda na primeira etapa. Em 2008, na final da Copa do Brasil, diante do Corinthians, por exemplo, o comandante rubro-negro sacou o meia Kássio, aos 25 minutos da primeira etapa, para colocar o atacante Enilton, que contribuiu bastante para a conquista. Na quarta-feira, diante do Santa Cruz, o treinador leonino mais uma vez interferiu no resultado com uma substituição. A troca envolveu novamente um prata da casa. Desta vez, foi Índio que deu lugar a Thomás, aos 23 minutos. O meia precisou apenas de dois minutos em campo para marcar um golaço.

Questionado sobre a modificação, Nelsinho explicou o que pensou quando resolveu promover a troca. “No início, ele (Índio) estava intranquilo. Conversei com ele para fazer com que ele entrasse no jogo. Mas, infelizmente, não conseguiu coordenar as jogadas. Esperei um pouco, mas quando vi que a permanência dele já estava prejudicando, o torcedor marcando, vaiando quando pegava na bola. Por isso, colocamos Thomás”.

Mesmo sendo decisivo vindo do banco de reservas, Thomás fez questão de reforçar que tem trabalhado para estar jogando constantemente. “Sempre falo que quero jogar sempre. Respeito o Índio ou quem estiver jogando. Também respeito a opção do técnico, mas quero jogar. Seja entre os 11 ou entrando, vou dar sempre o meu máximo”, destacou o meio-campista.

Baptista contou que o fato de o camisa 20 ter sido preterido de algumas partidas, não quer dizer que ele não esteja observando o jogador atentamente. “A gente vem acompanhando o Thomás. É um atleta que decide também. O gol dele foi importante para o Sport. Ele vai continuar tendo a atenção que vem tendo, assim como todos do grupo. Vamos trabalhar porque temos de preparar o time para quarta”, relatou.

RENOVAÇÃO

Ao contrário do que foi especulado, o meia Thomás não renovou com o Sport – o seu contrato é até 31 de maio. “Não renovei com o Sport. Ele termina em maio. Mas não queria falar no assunto para não parecer oportuno, já que fiz um gol no clássico. Isso deixo para a diretoria e para o meu empresário. Sou feliz no Recife, amo o Sport e creio que vamos chegar num acordo mais pra frente”, falou.

=7

Deixe sua opinião!