Sport e Santa Cruz ficam no empate em clássico marcado por confusão

7632

O Clássico das Multidões não ficou marcado pelo que foi apresentado dentro de campo. Infelizmente, o empate entre Sport e Santa Cruz em 1×1, pela 11ª rodada do Pernambucano, acabou sendo ofuscado pela enorme confusão nas arquibancadas da Ilha do Retiro. Os gols da partida foram marcados por Thomás e Fabinho Alves.

Com o resultado, o Leão terminou a primeira fase do Estadual na 3ª colocação, com 17 pontos, enquanto a Cobra Coral ficou na 6ª posição, com 13 pontos. Com isso, vai acontecer um novo Clássico das Multidões nas quartas de final. Novamente na Ilha do Retiro. Essa partida será na quarta-feira (14), às 21h45.

O JOGO

Ainda sem convencer na temporada, Sport e Santa Cruz entraram em campo com a responsabilidade de protagonizarem um futebol mais vistoso ou, ao menos, mais competitivo. Algo que ambas as equipes não apresentaram em 2018. Porém, no início do Clássico das Multidões, somente os rubro-negros procuraram tomar a iniciativa do jogo. É verdade que de forma atabalhoada. O suficiente para encurralar os tricolores em seu campo defensivo.

O volume imposto pelos donos da casa não era produtivo e os passes errados incomodavam Nelsinho Baptista, que aos 23 minutos perdeu a cabeça com Índio e sacou o prata da casa para colocar Thomás. A mudança surtiu efeito e com menos de dois minutos em campo, o meia já balançava a rede coral. O camisa 20 recebeu pela direita, cortou de letra Paulo Henrique e chutou de canhota no ângulo de Machowski. Um golaço: 1×0.

O Santa Cruz não demonstrava capacidade para incomodar a defesa leonina e permanecia acuado. O Sport, por sua vez, perdia chances de ampliar o placar. Neto Moura, em cobrança de falta, e Raul Prata em chute raspando a trave, estiveram próximo de balançar a rede tricolor. Quando parecia que a Cobra Coral não iria mostrar o seu veneno na primeira etapa: eis o bote. Aos 40 minutos, em rápido contra-ataque, Héricles partiu pra cima da zaga rubro-negra e direção à área, mas ao invés do chute, ele deu um lindo calcanhar achando Fabinho Alves sozinho entrando na cara de Magrão e finalizando com tranquilidade para empatar a partida: 1×1.

Após o gol de empate, um torcedor tricolor acendeu um sinalizador nas arquibancadas, o que gerou uma grande confusão. A Polícia Militar tentou coibir o ato e acabou provocando muito corre-corre, torcedores seriamente machucados ao descer os degraus das arquibancadas – alguns com fratura exposta.

O tumulto fora das quatro linhas acabou afetando o rendimento em campo. O clássico esfriou bastante e as duas equipes não produziram jogadas perigosas. O Sport só assustou Machowski em cobrança de falta, aos três minutos. Já o Santa seguia adotando uma postura reativa – postada em seu campo defensivo e buscando sair em velocidade. Sem produtividade em campo, a partida permaneceu com o placar inalterado até o apito final.

Ficha do jogo

SPORT

Magrão; Raul Prata, Ronaldo Alves, Léo Ortiz e Sander; Pedro Castro, Neto Moura, Marlone e Gabriel; Índio (Thomás) e Leandro Pereira (Mikael). Técnico: Nelsinho Baptista.

SANTA CRUZ

Tiago Machoski; Vitor, Augusto Silva, Genílson e Paulo Henrique; Jorginho (Leandro Salino), Luiz Otávio, Daniel Sobralense (Jeremias); Fabinho Alves (Geovane), Robinho e Héricles. Técnico: Júnior Rocha.

Local: Ilha do Retiro.
Árbitro: Péricles Bassols Cortez.
Assistentes: Ricardo Chianca e Clóvis Amaral.
Gols: Thomás, aos 26 minutos, e Fabinho Alves, aos 40 minutos, do 1º tempo.
Cartões amarelos: Ronaldo Alves (SPO) e Jeremias (SAN).
Público: 13.218.
Renda: 216.095,00.

=5

Deixe sua opinião!